Salvador - 25 de maio de 2018
06 de Março de 2018 - 12:36

Ocupação feminina na RMS cresce em 2017, após dois anos em queda

O número de postos de trabalho volta a aumentar para as mulheres da Região Metropolitana de Salvador (RMS), em 2017, após dois anos em declínio. No ano passado, houve geração de 11 mil postos de trabalho para as mulheres, com impacto positivo sobre as mulheres mais velhas, com idade acima dos 40 anos de idade, e com nível superior de escolaridade.

Em termos setoriais, esse resultado derivou de aumento no número de postos de trabalho na Indústria de Transformação, com alta de 7,7%, no setor de Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, com 5,8%, e nos Serviços, 1%.

Entretanto, a População Economicamente Ativa (PEA) aumentou entre as mulheres com maior intensidade e com isso o contingente de desempregadas também elevou-se, segundo informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Salvador, realizada pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).

Entre a população masculina houve geração de 23 mil postos de trabalho, fruto do aumento da ocupação no setor de Serviços (5,8%) e no Comércio e reparação (1,8%), haja vista o número de postos de trabalho ter diminuído, para eles, na Indústria de transformação (-3,6%) e, em menor proporção, na Construção (-0,9%). Destaque-se que, entre as mulheres, a amostra na Construção não comportou a desagregação.

Como a População Economicamente Ativa aumentou em 45 mil pessoas, o contingente de desempregados cresceu 11 mil. Com esses movimentos, a taxa de desemprego total na RMS permaneceu no mesmo patamar de 2016, 24,1%.

No período 2016-2017, o rendimento médio real no trabalho principal elevou-se para as mulheres ocupadas (5,6%) e, em menor medida, para os homens (3,2%). O valor recebido pelas mulheres passou de R$ 1.277 para R$ 1.349 e o dos homens, de R$ 1.562 para R$ 1.612.

 

Fonte: Bahia Econômica

Deixe seu comentário
Equipe Responsável
Revistas