acb

Empresários na Cultura

  • 30 de março de 2022 - 08:57

Eduardo Morais de Castro, ex-presidente da ACB, administrador e empresário

Presidente da Associação Comercial da Bahia (ACB) entre os anos de 2007 e 2011, Eduardo Morais de Castro, administrador e empresário do ramo de distribuição de produtos químicos,  é também um entusiasta dos assuntos ligados às transformações na educação e na cultura da Bahia. Acredita que, além de gerar riqueza financeira e empregos, os empresários podem assumir o importante papel de contribuir também com o desenvolvimento social e cultural da população.

“Por isso mesmo, um destaque da minha gestão na ACB foi o cuidado com o patrimônio cultural da instituição. Nossa experiência em administrar negócios empresariais pode ser direcionada também para a reestruturação administrativa e financeira destes equipamentos culturais tão importantes para o desenvolvimento da sociedade”, ressalta.

Talvez por isso, pouco tempo depois de se desligar da presidência da ACB, decidiu aceitar o convite da então presidente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), a professora e historiadora Consuelo Pondé, e assumiu a vice-presidência da entidade cultural mais antiga em atividade ininterrupta no estado, que no próximo dia 13 de maio estará comemorando 128 anos de existência. “O IGHB cuida da preservação de um patrimônio que não pertence a Salvador ou à Bahia. Trata-se de um patrimônio da humanidade”, enaltece Eduardo.

Com o falecimento de Consuelo Pondé, em 2014 o empresário assumiu a presidência do IGHB, função que ocupou até o último dia 08 de março, quando transmitiu o cargo para o também empresário e jornalista Joaci Góes que, assim como Eduardo Morais de Castro, integra o Conselho Superior da ACB.

“Conseguir convencer um outro empresário a assumir a presidência do Instituto, e alguém com a história de grandes realizações e um intelectual, como é o caso de Joaci, foi uma das maiores realizações da nossa gestão. Precisamos que mais empresários demonstrem essa sensibilidade pelas questões culturais”, convida.

Como acredita o empresário, a Bahia tem muito a ganhar quando passar a desenvolver projetos para explorar um potencial que lhe é natural: o turismo cultural. Como exemplo, cita as intervenções de reforma e restauração que realizou na ACB em 2011, para comemorar os 200 da entidade, quando entregou à sociedade um espaço com muita informação sobre a história da Bahia e do Brasil.

“A ACB representa também muita riqueza histórica e artística. São fotografias antigas, objetos diversos e mobiliário original, todos restaurados, além da pinacoteca, que possui quadros valiosíssimos, como um Portinari de valor incalculável, que retrata a chegada de D. João VI na Bahia”, acrescenta.

Já em relação ao seu período como presidente do IGHB, Eduardo destaca ações como a recuperação do prédio sede do Instituto, na Praça da Piedade, a ampliação da biblioteca, que agora conta com mais de 50 mil obras, a hemeroteca que guarda jornais de 1858 até os dias atuais, e a restauração de 50 telas históricas do acervo da pinacoteca. “Além disso, promovemos uma ampla reestruturação administrativa e financeira, que permitirá que nosso sucessor possa fazer o que eu não tive tempo de realizar”, complementa.

Publicada às quartas-feiras, a coluna mostra a atuação da Associação Comercial da Bahia na defesa do empresariado baiano

Comentários

Equipe responsável

  • Maiara Chaves de Oliveira
    Secretária Executiva

    Maiza Almeida
    Secretária Executiva
  • www.acbahia.com.br
    presidencia@acbahia.com.br
    secretariadadiretoria@acbahia.com.br
    comissoestematicas@acbahia.com.br
    71 - 3242 4455
    71 - 99964 5725

Vídeos

  • Ops! Por hora não há vídeos publicados.
Assistir todos