home

Passeio histórico-cultural pela Cidade Baixa acontece neste sábado

Edição do Rolé Brasil acontece em comemoração ao Dia da Consciência Negra

  • 16 de novembro de 2017 - 14:54
A Cidade Baixa vai ser o palco da próxima edição do Rolé Brasil, projeto que promove aulas de história a céu aberto na cidade. O evento acontece neste sábado (18), das 10h às 12h. O ponto de partida do passeio será a antiga fábrica de refrigerantes Fratelli Vita (atual campus da Estácio), localizada na Rua Barão de Cotegipe.

Responsável pelo roteiro, o professor de história da Estácio Rodrigo Rainha lembra que essa edição também está relacionada ao calendário de eventos em comemoração ao Dia da Consciência Negra. “A ótica da Consciência Negra pelo aspecto da reparação é fundamental, mas também temos de pensar e lembrar como nossas culturas e praticas estão presentes dentro da cidade e não são reveladas, não são discutidas, são sempre relegadas a um segundo plano”, afirma.

Por conta disso, durante a parada em cada um dos cinco pontos previstos no roteiro, serão contadas histórias passadas e presentes dos negros, além de fatos, personagens históricos, curiosidades, informações urbanísticas e arquitetônicas.

“Logo na saída do campus da Estácio, da antiga fábrica da Fratelli, a gente encontra uma igreja que é símbolo dessa resistência negra, há lá um sincretismo institucionalizado, com um culto híbrido, com tradições afro e cristãs”, comenta Rainha. Ainda nesse ponto, será lembrada a constituição da Feira de São Joaquim e o aparecimento dos primeiros escravos de ganho, responsáveis por movimentar o comércio na Cidade Baixa.

A própria chegada da fábrica de refrigerantes na região está relacionada  a uma tentativa de reorganização social e étnica. “A fábrica estimula a presença de imigrantes, que passam a ocupar as posições mais privilegiadas, enquanto os negros continuam nos graus mais baixos da hierarquia. Enquanto isso, na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia surgem as teses de Nina Rodrigues de branqueamento e eugenia”.

O roteiro contempla ainda uma parada pela Praça Irmã Dulce e pelo Colégio Militar. “Vamos contar como a polícia surge vinculada à escravidão, com o objetivo de capturar escravos fugidos. Lembramos também como essa região foi onde se deu a articulação de movimentos de resistência populares”, adianta. O passeio todo feito a pé deve durar aproximadamente duas horas e se encerra na Igreja do Bonfim.

Fonte: Jornal Correio da Bahia.

Comentários

Equipe responsável

  • Maiara Chaves de Oliveira
    Secretária Executiva

    Maiza Almeida
    Secretária Executiva
  • www.acbahia.com.br
    presidencia@acbahia.com.br
    secretariadadiretoria@acbahia.com.br
    comissoestematicas@acbahia.com.br
    71 - 3242 4455
    71 - 99964 5725

Galeria de Fotos

  • Ops! Por hora não há galeria de fotos publicadas.
Outras Galerias

Vídeos

  • Ops! Por hora não há vídeos publicados.
Assistir todos