home

Saiba mais sobre a Amazônia Azul

  • 20 de novembro de 2017 - 12:21

Uma Amazônia Azul

Existe uma Amazônia Azul?

Sabia que além de ter uma Amazônia Verde, o Brasil também conta com uma Amazônia Azul? Esse novo conceito foi criado pela Marinha com o objetivo de definir a mesma relevância estratégica de preservação para a costa brasileira que é destinada a floresta do bioma amazônico. A iniciativa é baseada na Convenção Internacional do Direito do Mar, da ONU, para designar uma (ZEE) de 4,5 Km2 da costa brasileira. Hoje, os espaços marítimos nacionais atingem aproximadamente 3,5 milhões de km².

‘Eco-nomia’ do mar

Sob as águas dessa nossa Amazônia Azul estão imensas reservas de petróleo e gás, além de recursos como sal, cascalhos, areias, fosforitas, crostas cobaltíferas, sulfetos e nódulos polimetálicos, que representam importantes fontes de riquezas para o País, além de conter uma grande variedade de organismos marinhos de grande valor biotecnológico.
A sede é aqui!

Maior baía brasileira e a segunda mais extensa do mundo (atrás apenas do Golfo de Bengala), a Baía de Todos os Santos (BTS) foi declarada como sede da Amazônia Azul em 2014, em ato solene durante o I Fórum Internacional de Gestão de Baías, no Palácio da Associação Comercial da Bahia (ACB).
A origem do nome

Baía de Todos os Santos é a segunda maior do mundo em extensão e a maior de águas tropicais/Foto: Ma
A Baía de Todos os Santos foi descoberta em 1º de novembro de 1501 pela expedição portuguesa comandada por Gaspar de Lemos e acompanhada pelo italiano Américo Vespúcio, que lhe deu o nome atual. “A tradição da época era batizar as grandes descobertas com o nome do santo do dia ou do acontecimento religioso daquela data, e 1º de novembro é Dia de Todos os Santos”, afirma o historiador Ricardo Carvalho. Mas antes disso, o nome dado pelos índios tupinambás que habitavam a região foi Kirimurê, que significa “grande mar interior”. No século 16 a BTS era utilizada para funções de subsistência como a pesca e a caça de baleias para a extração do óleo, muito utilizado em construções.
“Kirimurê, como era conhecida a BTS dos tempos dos índios Tupinambás, do cacique Taparica, de sua filha Paraguaçu e do náufrago português Caramuru.”
Adary Oliveira
Presidente da Associação Comercial da Bahia e estudioso da BTS.
 Baía de Riquezas

BTS conta com importante área de influência econômica para o Estado/Foto: Robson Mendes/GOVBA
Baía de águas calmas, transparentes e profundas, a BTS abrange 1.233 km2 de extensão, mais de 50 ilhas e 18 municípios, que respondem por 33,2% da economia baiana, de acordo com dados da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI). Tamanha área de influência gera ainda 70% do PIB e 65% do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do estado.
Curiosidade…

Foto: Marina Silva/CORREIO
Na Baía de Todos os Santos, mais precisamente na Ilha dos Frades, está situada a Praia de Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe. Esta é a primeira praia do Norte/Nordeste a receber o selo Bandeira Azul, que certifica as praias sustentáveis em todo o mundo. Criado na França em 1980, o programa é considerado o mais importante da categoria no planeta. Ele é atribuído a praias e marinas que cumprem um conjunto de 34 requisitos de qualidade socioambiental, tais como: melhorias na acessibilidade, requalificação dos banheiros, adequação das barracas de praia, implantação de sinalização sobre educação ambiental, entre outras medidas.
Gastronomia da BTS

Foto: Angeluci Figueiredo/Arquivo CORREIO
Um dos cartões postais mais belos do Brasil, a BTS atrai milhares de visitantes nacionais e estrangeiros, que ajudam a movimentar a indústria do turismo. O restaurante Preta, na praia do Botelho, em Ilha de Maré, encanta pelo ambiente hospitaleiro, paisagem estonteante e uma saborosa moqueca com coco-verde e fruta-pão. O empreendimento foi ideia da fotógrafa Angeluci Figueiredo, que sentia falta de um lugar agradável e com boas refeições no local.
Potencial turístico

 Além da tradicional gastronomia baiana, a BTS tem imenso potencial turístico, que inclui: meios de hospedagem, artesanato, atividades culturais das comunidades e o turismo náutico – regatas, produtos e equipamentos, mergulhos, entre outras opções. Para aproveitá-lo, especialistas ouvidos pelo CORREIO defendem mais investimentos dos setores público e privado em infraestrutura e divulgação da baía fora do estado.
“Hoje temos déficit de marinas bem estruturadas, empreendimentos como resorts e melhorias portuárias. Nossa baía tem um potencial grandioso, mas precisa de ordenamento, regras claras.”
Angelo Calmon de Sá Jr.
Vice-presidente da FIEB.
 Você sabia?

 A BTS compõe, desde 2016, o seleto The Most Beautiful Bays in The World Club (Clube das Baías Mais Belas do Mundo), uma organização não governamental que promove a troca de experiências entre os associados no âmbito do desenvolvimento sustentável. Atualmente, 43 baías de 25 países e quatro continentes integram o grupo.
 Oportunidades para a sede da Amazônia Azul

Foto: Flávio Oliveira/CORREIO
 Em 13 de novembro de 2017, o CORREIO Sustentabilidade promoveu o III Fórum Internacional Gestão de Baías, com o objetivo de reunir empresários, gestores públicos e representantes da sociedade civil para discutir oportunidades de investimento na Baía de Todos os Santos, sede da Amazônia Azul. O evento contou com o apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador, apoio da Odebrecht, Mais Belas Baías do Mundo, Marinha do Brasil, Lide, Associação Comercial da Bahia, Fecomércio-BA e WWI.
Fonte: Jornal Correio da Bahia.

Comentários

Equipe responsável

  • Maiara Chaves de Oliveira
    Secretária Executiva

    Maiza Almeida
    Secretária Executiva
  • www.acbahia.com.br
    presidencia@acbahia.com.br
    secretariadadiretoria@acbahia.com.br
    comissoestematicas@acbahia.com.br
    71 - 3242 4455
    71 - 99964 5725

Galeria de Fotos

  • Ops! Por hora não há galeria de fotos publicadas.
Outras Galerias

Vídeos

  • Ops! Por hora não há vídeos publicados.
Assistir todos