sem-categoria

Transformação organizacional é tema de palestra na ACB

  • 30 de outubro de 2017 - 13:05

O século XXI nos apresentou uma gama de desafios como a evolução das tecnologias digitais, clientes mais informados e conectados, exigências regulatórias e restrições socioambientais, que demandam transformações ágeis e sucessivas para quem busca se sustentar ao longo do tempo.

Para falar sobre o tema, a Associação Comercial da Bahia recebeu nesta quinta-feira, 26, a visita do professor, psicólogo e economista Eduardo Oliveira Santos, que usou sua pesquisa sobre a “Teoria U – uma nova tecnologia social” para nortear a palestra.

Como apontou o palestrante, sua pesquisa foi motivada por problemas ainda não solucionados, como Educação, Saúde, Segurança Pública e Meio Ambiente, além do Fechamento de Empresas.

Logo no início de sua apresentação, Eduardo Oliveira apresentou trecho do prefacio do livro A Quinta Disciplina, escrito por Peter Senge, professor e pesquisador do M.I.T. (Boston/EUA), que prega: “Praticamente todas as teorias de aprendizagem conhecidas se concentram em aprender a partir do passado. Embora esse tipo de aprendizagem seja importante, não é suficiente quando estamos avançando para um futuro que é profundamente diferente do passado.”

Para provocar os presentes, o palestrante questionou: “Era de mudanças ou mudanças de era?” Como exemplos, usou a Kodak, que até os anos 1990 era líder mundial no segmento fotográfico, mas, por não acreditar na fotografia digital, perdeu lugar no mercado. “Temos ainda a Uber, que não possui um único carro mas é a maior empresa de táxi do mundo, assim como a AirBNB, maior companhia hoteleira do mundo, que não possuiu um quarto de hotel”.

Em seguida, apresentou o conceito essencial da Teoria U: “Deixar ir o velho e
render-se ao desconhecido”.

Segundo o palestrante, o século XX foi caracterizado pelo foco no produto e no processo. O século XXI está focado na inovação. “A intuição emerge como fator preponderante para a percepção do novo”, complementou Eduardo Oliveira.

Como exemplo, citou Arie de Geus, Executivo da Shell Oil Co, autor do livro A Empresa Viva: “Os sinais de perigo estão aí, e muitos conseguem identifica-los, e, no entanto, por algum motivo, não conseguem penetrar no sistema imunológico da empresa, que se protege do desconhecido”.

Como objetivos da sua teoria, Eduardo Oliveira Santos defendeu a construção de novos caminhos, focados na inovação, visando a sustentabilidade da organização, num futuro próximo, a disseminação do processo de criatividade/inovação em toda a organização, e a criação de um clima organizacional propício à criatividade/inovação.

Com estes conceitos implantados, segundo apontou, as organizações podem alcançar o desenvolvimento do potencial de criatividade da organização, a percepção de projetos inovadores, o aumento da produtividade laboral, a expansão positiva da relação inter e intra pessoal e a ampliação do nível de consciência pessoal e coletivo.

“E as etapas para implementar esta teoria e alcançar seus resultados passam por capacitação da equipe, com atenção para os perfis psicológicos dos colaboradores; dinâmica de implementação, que inclui ouvir, debater, dialogar, realizar, prototipar e cristalizar; e, por fim, aplicação de conhecimentos, que inclui Levantamento do Clima Organizacional, Preparação do Campo Social, Recomendações e Práticas da Teoria U, Planejamento Estratégico, Processo de Gestão e Percepção de Novos Projetos”.

Princípios e Práticas da Teoria U

  1. Atenda: ouça o que a vida o convida a fazer
  2.  Conecte-se: ouça e dialogue com participantes interessantes
  3. Co-inicie um grupo central diversificado que inspire uma intenção  comum
  4. Forme uma equipe central de protótipo altamente comprometida
  5. Faça jornadas de mergulho profundo aos lugares de maior potencial
  6. Observe, observe, observe: suspenda a voz do julgamento e conecte-se ao estado de deslumbramento
  7. Pratique o ouvir profundo e o diálogo
  8. Crie órgãos de sensibilização coletiva que permita ao sistema ver a si próprio
  9. Deixe ir: deixe ir seu velho eu e coisas que devem morrer
  10. Deixe vir: conecte-se e renda-se ao futuro que quer emergir
  11. Silêncio intencional: adquira uma prática que o ajude a se  conectar com sua fonte.
  12. Siga a sua jornada: faça o que ama, ame o que faz.
  13. Lugares de presença: crie círculos nos quais vocês mantenham uns aos outros na futura intenção mais elevada.
  14. O poder da intenção: conecte-se ao futuro que precisa de você –  cristalize sua visão e intenção.
  15. Forme grupos centrais, 5 pessoas podem mudar o mundo.
  16. Esboce microcosmos estratégicos como uma pista de aterrisagem para o futuro emergente
  17. Integre cabeça, coração e mãos: busque isso com as mãos; não pense, sinta.
  18. Itere, itere, itere: crie e adapte-se e sempre permaneça em dialogo com o universo.
  19. Codesenvolver ecossistemas de inovação que conectem vendo a partir do todo emergente no todo emergente.
  20. Crie infraestruturas de inovação modelando ritmo e lugares seguros para treinamento por pares/colegas.
  21. Teatro do Presencing Social: desenvolva a consciência coletiva via mídias nível 4.

 

 

Comentários

Equipe responsável

  • Maiara Chaves de Oliveira
    Secretária Executiva

    Maiza Almeida
    Secretária Executiva
  • www.acbahia.com.br
    presidencia@acbahia.com.br
    secretariadadiretoria@acbahia.com.br
    comissoestematicas@acbahia.com.br
    71 - 3242 4455
    71 - 99964 5725

Galeria de Fotos

  • Ops! Por hora não há galeria de fotos publicadas.
Outras Galerias

Vídeos

  • Ops! Por hora não há vídeos publicados.
Assistir todos